O site e guia da cidade

CPI da Coelba: “A quem interessa me ver fora da relatoria?”, questiona deputado Tum

0

- Anúncios -

Superados os trâmites internos e a pressão da Coelba, o deputado Tum (PSC), autor do requerimento de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar a concessionária de energia elétrica da Bahia, comemora o desfecho dessa primeira etapa. “Chegamos aqui com o apoio majoritário dos colegas parlamentares, da população, da imprensa, que acompanhou de perto essa iniciativa, da presidência e da procuradoria-geral da Alba, a quem também agradeço o empenho por essa pauta”, afirmou. 

Prevista para ser instalada ainda nesta semana, a comissão terá oito integrantes indicados pelos líderes partidários. Para o deputado Tum, o próximo desafio envolve justamente essa composição e é grande a expectativa para que ele ocupe a relatoria. “Tenho me preparado para essa missão há meses, estudei a fundo a situação da empresa, as deficiências, contratei, com recursos próprios, uma assessoria para tratar do tema, então me considero pronto para essa tarefa, sobre a qual os baianos depositam muita expectativa, sem dúvidas”, assegurou o parlamentar. 

Antes mesmo do aval jurídico para instalação da CPI, o autor já mantinha contato com líderes da oposição e da situação na Alba. O deputado buscou sensibilizá-los para a necessidade de formar uma mesa diretora apartidária, municiada de informações e resistente às pressões externas para, assim, assegurar o compromisso firmado perante os baianos.  

Tum lembra ainda que a CPI da Coelba é um fato histórico, sem precedentes no Brasil. “Por isso, a oportunidade precisa ser aproveitada ao máximo, para esmiuçar a atuação da concessionária e apontar soluções, que é a grande expectativa dos baianos. “Precisamos otimizar tempo e recursos, então, a quem interessa manter longe da investigação o deputado que mais possui informações e conhecimento sobre a investigada?”, questiona. 

A CPI  

Apresentado à presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) com o aval de 39 deputados, 18 a mais que o mínimo necessário, o requerimento de CPI prevê investigar ações e omissões da Coelba, empresa controlada pelo grupo espanhol Iberdrola, que registrou lucro de 10 bilhões de reais no primeiro quadrimestre de 2020 e, no entanto, ocupa o topo do ranking de reclamações do Procon-Bahia. 

Nas justificativas para abertura da CPI, o deputado cita a pouca transparência na composição dos preços cobrados aos baianos, além dos “prazos e custos nas solicitações de ligação”. Além disso, questiona a falta de um plano de expansão da rede, o que tem inviabilizado novas ligações elétricas do programa Luz para Todos e a implantação de grandes empreendimentos, que poderiam estar gerando emprego, renda e impostos na Bahia. 

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies