O site e guia da cidade

“Seremos o primeiro! ”, afirma Prefeito de Casa Nova sobre produção da fruticultura

0

- Anúncios -

A pesquisa da Produção Agrícola Municipal (PAM) do IBGE, que está consolidado os números de 2020, trouxe uma excelente notícia para Casa Nova: o município ocupa a terceira colocação entre todos os produtores de manga no Brasil. 

Casa Nova experimentou um crescimento de 4,7% no valor gerado pela manga, chegando a R$ 155,1 milhões em 2020.  Diferente de todos os outros municípios, que mantém a mesma extensão das plantações, com poucas variações, o município de Casa Nova, continua aumentando aceleradamente a área utilizada para fruticultura. 

“Seremos o primeiro” – diz Wilker Torres (PSB), prefeito no seu segundo mandato – “Temos muita terra cultivável, temos água, uma rede rodoviária em excelente estado para o escoamento da produção, mão de obra capacitada. Estamos a 40  minutos do maior aeroporto de exportação do Nordeste. Tudo trabalha a nosso favor” 

Uma característica importante que pesa na análise do Prefeito e no seu otimismo, além do custo das terras e da irrigação ser consideravelmente mais compensador, a diversidade da fruticultura local, destacando-se a manga, uva, coco, banana e dezenas de outras frutas, atrai investidores que beneficiam toda a cadeia produtiva, gerando um círculo virtuoso que leva a mais produção. 

A PAM 

A pesquisa da Produção Agrícola Municipal faz seu levantamento a partir da coleta de dados sobre 66 produtos em todos os municípios do país. Para isso, o IBGE se utiliza de fontes secundárias de informação (associações de produtores, órgãos públicos e entidades ligadas à agricultura, dentre outros). Dos 66 produtos investigados, 45 são cultivados na Bahia e 38 deles (84,44%) apresentaram crescimento no valor de produção entre 2019 e 2020. A performance fez a participação da Bahia subir no valor total gerado pela agricultura brasileira, saindo de 5,4% (2019) para 5,8% (2020).
 
No tangente específico ao recorte da fruticultura, o estudo demonstra que em 2020 o setor, na Bahia, atingiu a sua segunda maior marca histórica no tangente ao valor de produção, somando R$ 3,5 bilhões, o que representa acréscimo de 11,7% com relação a 2019. 

Manoel Leão / ASCOM PMCN

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies