O site e guia da cidade

Live celebra Dia de Combate à Desertificação

0

Live celebra Dia de Combate à Desertificação

A Embrapa Semiárido, em parceria com o Grupo Fundação Esquel Brasil e a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), realiza nesta quinta-feira (17/06) uma live em comemoração ao Dia Mundial de Combate à Desertificação. A transmissão abordará as dificuldades, avanços e desafios do combate à desertificação no Brasil, e será realizada a partir das 9h, no canal da Embrapa no youtube (www.youtube.com/embrapa).

O evento on-line terá um formato de mesa-redonda, e contará com a participação de diversos pesquisadores e estudiosos do tema no Brasil e no exterior.

Entre os assuntos que serão tratados estão os aspectos históricos da criação da Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação em Países Afetados por Seca Grave e/ou Desertificação (UNCCD). Também será discutida a atuação das esferas políticas federais e estaduais sobre o tema, bem como as dificuldades para se estabelecer uma organização nacional de combate à desertificação no Semiárido nordestino

Outro ponto que será tratado envolve os avanços técnicos-científicos para o enfrentamento dos processos de desertificação, com apresentação de experiências de sucesso no combate ao problema no Brasil.

Para o pesquisador Iêdo Bezerra Sá, da Embrapa Semiárido, “conciliar o desenvolvimento econômico com o respeito ao meio ambiente somente é possível com tecnologia e informação. Para isso, são necessárias políticas públicas que incentivem a adoção de tecnologias que minimizem o avanço dos processos de desertificação no país”.

Dia de Combate à Desertificação

A data foi estabelecida pela Assembleia Geral da ONU, em 1994, como uma forma de conscientização sobre os impactos do processo de desertificação no mundo. De acordo com a UNCCD, desertificação é um processo de degradação da terra nas regiões áridas, semiáridas e subúmidas secas, resultante de vários fatores, entre eles as variações climáticas e a atividade humana.

No Brasil, a ocorrência de secas severas e recorrentes, bem como o processo de desertificação, é mais evidente na região semiárida, que atualmente engloba 1.262 municípios, ocupa 12% do território nacional e possui precipitação pluviométrica anual inferior a 800 mm. O bioma principal dessa região é a Caatinga, que passa pelos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, com mais de 27 milhões de habitantes.

Nos últimos anos, o desmatamento da Caatinga atingiu uma área equivalente ao tamanho de Portugal, a ponto de, hoje, estar com quase 50% do seu território afetado por processos acentuados e severos de desertificação.

Saiba mais sobre o assunto no site Temático da Embrapa – “Convivência com a seca”.

Clarice Rocha Embrapa Semiárido

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies