O site e guia da cidade

Casa Nova: Auditoria constata falhas no controle de medicamentos

0

Uma auditoria realizada por técnicos do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) reconheceu irregularidades e inconsistências nos processos de compra, armazenamento e distribuição de medicamentos por parte da Prefeitura de Casa Nova, no Sertão do São Francisco. Por conta das irregularidades, o prefeito Wilker Oliveira Torres foi multado em R$3 mil pelo órgão nesta terça-feira (20).

De acordo com o TCM, em  2018, a gestão firmou contratos com a empresa “Distribuidora de Medicamentos Hospitalares”, no valor total de R$ 5.361.310,08. Já em 2019, a administração promoveu pregão presencial para registro de preço, o qual ensejou a assinatura da ata de preços pelas empresas “Dental Center, CS ME Produtos Odontológicos e Hospitalares”, “Zuck Papéis”, “SO Saúde Produtos Hospitalar” e “Hospitalmed”, visando a aquisição de medicamentos, no valor total de R$ 2.474.899,39.

O conselheiro do órgão, Fernando Vita ressaltou, em seu voto, que faltou planejamento da administração municipal para as aquisições dos medicamentos e que não foram apresentadas as devidas justificativas para as aquisições, especialmente acerca da quantidade de medicamentos a serem comprados. Pontuou ainda que, com a ausência de controle adequado nas aquisições e distribuição de medicamentos, não foi possível atestar a eficácia e eficiência dos serviços de distribuição de medicamentos na municipalidade.

O conselheiro considerou, por fim, precárias as condições da Central de Abastecimento – um dos quatro locais onde os medicamentos ficam armazenados –, vez que foram identificadas uma série de irregularidades, como umidade/mofo aparente em parte das instalações e ausência de lâmpada fria.

Ainda de acordo com o TCM, a auditoria temática na área da Saúde foi realizada pelo TCM em 17 municípios baianos que, segundo o órgão, foram selecionados com base na matriz de risco elaborada a partir de informações dos bancos de dados do próprio tribunal, para averiguar os gastos com a compra de medicamentos que são distribuídos com a população, as condições de armazenamento, validade e instalações físicas das farmácias e dos equipamentos indispensáveis à conservação dos remédios. Os documentos analisados são relativos aos exercícios de 2018 e 2019.

Cabe recurso da decisão.

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies