O site e guia da cidade

Mineração brasileira encerra 2020 com bons resultados

0

Mineração brasileira encerra 2020 com bons resultados

Mineração brasileira encerra 2020 com bons resultados

A mineração brasileira fechou o ano de 2020 com resultados bastante positivos. Apesar dos impactos causados pela pandemia de covid-19, o setor conseguiu se recuperar ao longo do ano se beneficiando da valorização do minério de ferro – que chegou a quase US$ 164 a tonelada em dezembro – e de metais não-ferrosos.

Segundo o superintendente do Grupo MBL, Jerri Alves, a maior responsável pela boa performance do segmento no ano passado foi a China, que é um dos países que mais importam matérias-primas industriais. “Os incentivos e investimentos do governo chinês em projetos de infraestrutura e empreendimentos imobiliários, por exemplo, permitiram que a economia de seu país permanecesse estável mesmo com a chegada da pandemia. Com este contexto, o Brasil, que é um forte fornecedor de commodities para a China, também foi favorecido. Operando em 90% da capacidade de suas usinas de aço, a nação asiática conseguiu manter o seu alto consumo de minérios e metais brasileiros, o que acabou impulsionando o aumento da cotação do minério de ferro”, explica.https://googleads.g.doubleclick.net/pagead/ads?guci=2.2.0.0.2.2.0.0&client=ca-pub-9453407085297694&output=html&h=280&adk=3382418144&adf=3643957022&pi=t.aa~a.551187364~i.5~rp.4&w=800&fwrn=4&fwrnh=100&lmt=1611067121&num_ads=1&rafmt=1&armr=3&sem=mc&pwprc=9400828051&psa=1&ad_type=text_image&format=800×280&url=https%3A%2F%2Fuaua.com.br%2F2021%2F01%2Fmineracao-brasileira-encerra-2020-com-bons-resultados.html&flash=0&fwr=0&pra=3&rh=200&rw=800&rpe=1&resp_fmts=3&wgl=1&fa=27&adsid=ChAIgKOagAYQndGkmZPM8JkCEkwAXw6-B11pW9lL38SqV1L3d8YEbklaK6zF974oRD7A81PAfDk2qFpfiWSma5KAPc7LEM_JSxTdo5lTw9_XnT3NutWh-nBfX1w4zyc5&dt=1611067121568&bpp=4&bdt=1439&idt=-M&shv=r20210112&cbv=r20190131&ptt=9&saldr=aa&abxe=1&cookie=ID%3D12a196472505cddd-22e018aac7b3004e%3AT%3D1610491766%3ART%3D1610491766%3AS%3DALNI_MYHN3XSZ2TZTke9l53xTKAQn3F3cg&prev_fmts=0x0%2C970x90&nras=2&correlator=6019333792702&frm=20&pv=1&ga_vid=783532463.1610491759&ga_sid=1611067121&ga_hid=147527450&ga_fc=0&u_tz=-180&u_his=7&u_java=0&u_h=768&u_w=1366&u_ah=728&u_aw=1366&u_cd=24&u_nplug=3&u_nmime=4&adx=105&ady=730&biw=1349&bih=657&scr_x=0&scr_y=0&eid=21068769&oid=3&pvsid=4460345614195874&pem=121&ref=https%3A%2F%2Fuaua.com.br%2Fwp-admin%2Fpost.php%3Fpost%3D46112%26action%3Dedit&rx=0&eae=0&fc=1408&brdim=0%2C0%2C0%2C0%2C1366%2C0%2C1366%2C728%2C1366%2C657&vis=1&rsz=%7C%7Cs%7C&abl=NS&fu=8320&bc=31&ifi=3&uci=a!3&btvi=2&fsb=1&xpc=wyhWRXqJ5m&p=https%3A//uaua.com.br&dtd=79

Jerri aponta que até o mês de setembro, o rendimento anual da mineração nacional havia alcançado os R$ 125 bilhões, dos quais 40% foram adquiridos só no terceiro trimestre. “Os preços de metais não ferrosos, como o alumínio, níquel, cobre e zinco, apresentaram grande elevação na Bolsa de Metais de Londres, o que contribuiu para a recuperação do setor, que também foi aquecida pela valorização cambial das exportações e cotação das commodities”, aponta.

A procura por minerais industriais como a brita, areia e calcário no mercado interno, expôs um acentuado crescimento no ano passado em decorrência do marcante aumento dos lançamentos imobiliários e da autoconstrução. “Já as exportações, fecharam 2020 com um avanço de 10%, atingindo os US$ 35 bilhões. Entre janeiro e novembro, a balança dos embarques acumulou US$ 32 bilhões. Não há dúvidas de que o minério de ferro será o carro-chefe do setor em 2021, as expectativas são animadoras, principalmente, nas exportações dele e de minerais como o nióbio e manganês que irão para a China, Japão e outros países”, ressalta.

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies