Um homem cometeu suicídio na Zona Rural de Casa Nova / Norte da Bahia.

De acordo com informações, Geraldo Antônio dos Santos, 51, foi socorrido pelo irmão e deu entrada no hospital municipal da cidade, com suspeita envenenamento, na tarde de quinta-feira (21), mas não resistiu aos sintomas indo a óbito ainda em Casa Nova.

O mesmo residia em um Sítio na localidade de Riacho do Sobrado era natural de Cabrobó-PE.

Não há informações da motivação do que teria ocasionado ao mesmo cometer tal ato.

O Departamento de Polícia Técnica foi acionado (DPT), foi acionado e removeu o corpo para o IML de Juazeiro para os procedimentos de praxe.

Este é mais uma morte por suicídio em menos de 15 dias, na região de Casa Nova.

Da Redação: PORTALCASANOVA com informações Paim News.

Vergonha, culpa, dúvidas, raiva… esses são alguns dos sentimentos experimentados por aqueles que perdem algum ente querido por suicídio. O luto dessas pessoas envolve tabus, estigmas, preconceitos e muita desinformação, ingredientes que podem afetar a saúde mental dos que ficam.

Em suicidologia, o termo “sobrevivente suicida” se refere a uma pessoa que está sofrendo após o suicídio de alguém próximo e não a alguém que sobreviveu a uma tentativa de suicídio.

O ato solitário e de profundo desespero tem um efeito potencialmente devastador em quem fica. Um estudo coordenado pela pesquisadora Julie Cerel, da Universidade do Kentucky (EUA), mostrou que aproximadamente 135 pessoas são impactadas com um único suicídio. Além disso, estima-se que 25 pessoas próximas da vítima podem tentar se matar ou ter ideias suicidas.

https://img.r7.com/images/suicidio-brasil-09092019111620649

Isso significa que diante dos 12.495 suicídios registrados no Brasil em 2017, segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 1,6 milhão de pessoas podem ter sido afetadas de alguma forma e, deste grupo, 300 mil podem vir a atentar contra a própria vida. O psicólogo norte-americano John R. Jordan, autor de diversos livros sobre o assunto e que trabalha há mais de 25 anos com sobreviventes suicidas, explica como isso se dá.

“As pessoas que conhecem alguém que morreu por suicídio têm 1,6 mais chance de ter ideias suicidas; 2,9 vezes mais chances de ter planos suicidas; e 3,7 vezes mais chances de tentar suicídio, em relação a outras pessoas que não conheciam [alguém vítima de suicídio].”

A morte por suicídio é normalmente violenta e repentina. Pode ser ainda que parentes e amigos tenham de lidar com investigações policiais e com a imprensa até que se tenha certeza do que aconteceu, o que adiciona ainda mais trauma a estas pessoas.