Diante da crise que assola o país, municípios sofrem com a falta de recursos oriundos de seu PIB interno e os poucos repasses que recebem dos estados e União. O que afeta na vida das pessoas que precisam dos serviços públicos, infraestrutura, saúde e bem-estar.

No entanto, não se justificativa tais entreves serem justificativa para o abandono e destrato dos bens-públicos nem a manutenção dos serviços mais essenciais e urgentes.

Casa Nova no Norte do estado, um município que dispõe de facilidade para recolher impostos e, consequentemente, garantir empregabilidade tanto na área pública como privada, pois, grandes empresas privadas estão instaladas no município, gerando emprego e renda, poderia estar numa situação mais “confortável”, porém, aparentemente não é a primeira impressão.

Na entrada da cidade (de um lado ou de outro) se nota esgoto a céu aberto, ruas que, já deveriam estar municipalizadas e até então câmeras de segurança e semáforo hoje são apenas de “fachada”, pois não há informações se funciona, e os prédios públicos sequer receberam uma “pintura” nas paredes, tampouco reforma. Nota-se locais como escolas municipais e outros órgãos governamentais ainda com logomarcas de gestões passadas.

Não há até então, respostas a tais perguntas. Se será feito, como será feito, o que tem feito. Como, como será reeleito?