A denúncia de estupro contra o atacante português Cristiano Ronaldo foi retirada do tribunal estadual de Nevada, em Las Vegas, nos Estados Unidos. De acordo com a agência de notícias “Bloomberg”, o pedido da suspensão foi apresentado no mês passado, mas não foi informado se existiu algum acordo econômico entre o jogador a acusadora.
Cristiano Ronaldo foi acusado de estupro pela modelo americana Kathryn Mayorga, de 34 anos. O caso teria acontecido em 12 de junho de 2009, no hotel Palms, em Las Vegas. Em setembro do ano passado, o caso foi reaberto com base na apresentação de um documento em que o craque português teria feito um acordo para manter o silêncio da moça. Ele pagou US$ 375 mil à modelo. Kathryn queria anular a primeira decisão e receber uma indenização de US$ 200 mil. Sua defesa alegou que o acerto havia sido feito num momento de fragilidade emocional da suposta vítima. Um novo advogado estava cuidando dos interesses dela. Nessa época, CR7 se pronunciou numa transmissão ao vivo no Instagram afirmando que as notícias eram falsas e que “as pessoas queriam se promover através de seu nome”.
No processo inaugurado em junho de 2009, Kathryn Mayorga contou que encontrou com Cristiano Ronaldo no hotel que teria convidado a modelo e outras amigas para irem na sua cobertura no local. No apartamento, o jogador teria oferecido camisetas e shorts às mulheres para que todas entrassem na jacuzzi. A modelo conta que foi atacada pelo craque quando estava trocando de roupa. Nessa época, o português ainda não tinha se transferido do Manchester United para o Real Madrid.
 Fonte BN