Estudantes constroem casa com blocos ecológicos para família carente em Casa Nova.

A ação possibilitou que os moradores da comunidade carente de Vila do Papelão saíssem da sua antiga moradia, construída de taipa, possibilitando uma residência mais digna para viverem.

Estudantes constroem casa com blocos ecológicos para família carente em Casa Nova

Para dona Maria de Jesus, de 70 anos, o final do ano marcou um novo recomeço na sua vida. Por meio do projeto “Bloco Ecológico com fibra de coco como alternativa para a substituição da taipa”, estudantes do Centro Educacional Antônio Honorato, em Casa Nova, na região Norte da Bahia (a 573 km de Salvador), entregaram neste domingo (30) uma nova casa para sua família, composta por seis pessoas. A ação possibilitou que os moradores da comunidade carente de Vila do Papelão saíssem da sua antiga moradia, construída de taipa, possibilitando uma residência mais digna para viverem.

Segundo dona Maria, a iniciativa é um exemplo de cidadania e bom coração. “Gostaria de agradecer primeiramente a Deus! Mas também aos estudantes e à professora que hoje me deram um palácio para eu morar. Estou tão feliz que até estou com medo de não aguentar”, disse. O imóvel possui sala, cozinha americana, quarto, banheiro e varanda. A ação ainda contou com doações de móveis para o mobiliário da casa, além de arrecadação de alimentos, que foram distribuídos aos vizinhos que ajudaram na construção da casa, orientados por um mestre de obras amigo da escola.

O estudante Eduardo Rocha, 17, destacou o potencial do projeto. “Essa nova opção pelo Bloco Ecológico, que utiliza a fibra de coco, trouxe diversas vantagens, tanto do lado ambiental, pois utilizamos essas sobras que são encontradas na região devido a alta produção deste fruto, como na solidariedade, porque mobilizamos moradores e comerciantes para ajudar. Acredito que tudo isso contribuiu para incentivar outras pessoas a fazerem o bem”, afirmou.

A professora e orientadora, Andréa Passos, contou que a ideia do projeto é a partir do próximo ano os estudantes realizarem oficinas nas comunidades para ensinar os moradores a produzirem o Bloco Ecológico. “Nós estamos muito entusiasmados, pois ficamos em 1º lugar na Mostra de Iniciação Científica do Sertão do São Francisco (MICSESF), na categoria Engenharia, o que nos credenciou para a Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia 2019 (FECIBA), em Salvador. Também temos o objetivo de sermos multiplicadores, realizando oficinas em que os alunos vão ensinar os moradores de comunidades carentes a produzirem o bloco, dando uma nova perspectiva para suas famílias”, destacou.

Projeto – O “Bloco Ecológico com fibra de coco como alternativa para substituição da taipa” tem o objetivo de criar uma opção mais barata e sustentável para os blocos tradicionais. Com a iniciativa, que utiliza a fibra do coco triturada no lugar da areia, além de outros materiais descartados pela construção civil, os alunos pretendem possibilitar que moradores de áreas carentes que residem em casas de taipa possam ter condições de construir um lar mais confortável e seguro. Segundo pesquisa realizada pelos próprios estudantes, o custo do bloco cai em 50% em comparação aos vendidos no comércio da região.