Casa Nova: Diretor esclarece situação de paciente envolvido em acidente de moto

O Diretor Clínico do Hospital de Casa Nova, Victor Siqueira, diante das infundadas e até desrespeitosas acusações divulgadas por uma prima que não se identifica do paciente Paulo dos Santos Silva, através de blogs e redes sociais, emitiu uma nota com as explicações necessárias ao restabelecimento da verdade.

Nota

Tomamos conhecimento de uma postagem, através do Grupo Petrolina em Destaque, citando o respeitado Blog do Edenevaldo Alves como fonte, relatando a suposta condição de abandono do paciente Paulo dos Santos Silva, internado no Hospital de Casa Nova.

Para restabelecermos a verdade, apesar de termos consciência que o malefício que a pessoa não identificada que se prestou a divulgar essas inverdades causou, não poderá ser eliminado, informamos: O paciente chegou ao hospital por volta da meia noite e meia do dia 31, uma hora ou mais após ter se envolvido em um choque entre duas motos.

Além de um corte na face, o paciente estava consciente, orientado, sem sinais de deformidade, lesão ou fratura. A médica fez todos os procedimentos necessários, inclusive a sutura na face e o internou porque apesar da estabilidade neurológica ele apresentou sinais de vômito, negando que tenha ingerido bebida alcoólica.

Além das medicações a médica orientou a passagem de uma sonda naso gástrica para observar a resposta do paciente. Na enfermaria o paciente se incomodou e ele mesmo puxou e retirou a sonda. O paciente enquanto esteve no hospital não voltou a apresentar sintomas de vômito com sangue, não apresentou rebaixamento de nível de consciência, mantendo-se estável, se alimentou, não fez pico pressórico, não teve alteração de glicemia. Resumindo: Ele não apresentou nenhuma alteração que justificasse ele permanecer internado e na regulação.

Ele foi incluído na regulação, por prudência e cuidado redobrado da médica, pelo fato do traumatismo craniano leve e ter apresentado episódio de sangue, que não se repetiram e, portanto, retirado da regulação.

Em nenhum momento “ficou largado”, foi avaliado constantemente, recebeu alimentação adequada, ele e seus acompanhantes, teve roupa de cama trocada, teve os cuidados da enfermagem feitos e a visita médica diariamente.

Dizer que o paciente ficou “jogado” é uma inverdade com um só objetivo: prejudicar a imagem do Hospital de Casa Nova, que reconstruímos com muito trabalho, dedicação e amor àquilo que fazemos.

Casa Nova, 05 de janeiro de 2019

Victor Siqueira

Médico – Diretor Clinico do Hospital de Casa Nova