PORTAL CASA NOVA - LOGIN
LOGIN PCN

Câmara analisa segunda denúncia contra Temer

0

Votação de parecer contra a acusação da Procuradoria-Geral da República começa quando for atingido o quórum de 342 deputados em plenário

 

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=yZeJVobyJXo?version=3&rel=1&fs=1&autohide=2&showsearch=0&showinfo=1&iv_load_policy=1&wmode=transparent]

O plenário da Câmara dos Deputados vota nesta quarta-feira, 25, a segunda denúncia  apresentada contra o presidente Michel Temer pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) são acusados por formação de organização criminosa e obstrução da Justiça. Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça da Casa votou pela rejeição da denúnciaque autoriza o Supremo Tribunal Federal (STF) processar o presidente. Para avançar, a denúncia precisa que 342 dos 513 deputados votem contra o parecer dado pelo deputado Bonifácio de Andrada – o que foi votado na CCJ. Deputados a favor do afastamento de Temer votarão “Não”, e os que considerarem que a Casa deve rejeitar a autorização para processo, por sua vez, dirão “Sim”.

ACOMPANHE OS PRINCIPAIS PONTOS DA VOTAÇÃO

10:37 – O advogado do ministro Eliseu Padilha, Daniel Gerber, terá 25 minutos para falar. “Um dos melhores políticos que a história brasileira já produziu. Acredito piamente na injustiça das acusações que lhe foram imputadas”, afirmou.

10:35 – Carnelós encerrou sua fala e pediu que plenário derrube a denúncia.

10:32 – Para a defesa de Temer, gestão de ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi “maléfica”. Ele acusou Janot de ter trabalhado para destituir o presidente da República.

10:29 – Carnelós desqualifica os áudios das conversas entre Temer e o empresário Joesley Batista que deram base às duas denúncias contra o presidente. “Há centenas de interrupções no áudio, comprovadas pericialmente”, disse a defesa do peemedebista. “O que se constata é que não há menção a dinheiro. Não há referência a valores”.

10:21 – O advogado de Temer critica a atuação do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que foi autor da segunda denúncia. “Foi uma acusação construída a partir de fatos criminosos. O ex-procurador-geral, em vez de investigar, como deveria ter feito, preferiu construir uma tese acusatória”, afirmou. “Ele produziu esse arremedo de provas”.

10:15 – Carnelós afirmou que a denúncia não tinha objetivo de imputar crimes, mas de destituir o presidente do poder. “A denúncia não tem por propósito de fazer imputação da prática de crimes, como deve ser uma denúncia. O que se pretendeu sobre essa denúncia foi atacar a figura do senhor presidente da República”, afirmou.

10:11 – Quem assume a palavra é a defesa do presidente Michel Temer, o advogado Eduardo Carnelós. Ele terá 25 minutos de pronunciamento.

10:08 – Ainda em seu pronunciamento, Andrada volta a criticar a PGR, autora da denúncia contra Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência). “Esse documento não deve ser levado a sério. Ela faz o MP passar por um momento tristonho de sua história. De falha, um momento de deficiência”, criticou o tucano. “Vamos votar contra essa denúncia, porque assim votamos a favor da democracia”. Bonifácio Andrada encerra seu pronunciamento.

10:04 – “Essa denúncia é inteiramente falsa e esvaziada. É uma denúncia mentirosa. Ela se baseia em três itens sem sentido”, disse o deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG) em seu pronunciamento. Ele foi relator do parecer na CCJ. O tucano disse que a denúncia atinge toda a classe política. “O MP perde um pouco o seu prestígio e sua autoridade por assinar essa denúncia, porque está em desacordo com as próprias tradições do MP”, afirmou.

09:51 – Para o deputado acusação sobre organização criminosa “não tem fundamento”. “Não tem base, não tem fundamento”, afirmou. Andrada criticou também a atuação da PGR e acusou a Procuradoria de agir politicamente. “Por que a PGR encaminha uma denúncia sem provas de que existem irregularidades da parte do presidente?”, questionou. “A PGR está agindo politicamente para enfraquecer Temer”.

09:49 – Com quórum suficiente de 54 deputados, presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) lê ordem do dia

09:45 – O deputado Darcício Perondi (PMDB-RS) chama a oposição para comparecer ao plenário. “Aonde está a oposição? Constrangida? Inibida? Envergonhada com a forma que deixou o país? Venham aqui debater. Deem presença”, disse.

09:43 – Até agora apenas 39 deputados estão presentes no plenário. Para a sessão começar são necessários 52.

09:40 – Deputados da base pedem para que a mesa diretora compute a presença de todo parlamentar que falar ao microfone. O pedido atrapalha a estratégia da oposição de boicotar a sessão não dando quórum para votar a denúncia.

09:35 – Presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) já está presente. O deputado Mauro Pereira (PMDB-RS) assume a palavra. Ele voltou a falar da importância de a sessão ter quórum suficiente para o início dos trabalhos. “O povo brasileiro quer ver essa Casa trabalhando. E trabalhar é vir aqui e cumprir nossa missão. Vir aqui e votar. Vote consciente”, afirmou. “Eu vou votar a favor da manutenção do presidente Temer no poder”.

09:25 – Começa a sessão para a votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer.

09:20 – Membro da mesa diretora da Câmara, deputado Carlos Manata (SDD-ES) disse que a expectativa é de que o quórum necessário para a votação da segunda denúncia contra Temer seja alcançado apenas na terceira sessão extraordinária, prevista para às 15h. “O presidente tem o acordo de iniciar a votação quando atingir 342 deputados no plenário. Isso só deve acontecer na parte da tarde”, afirmou. Manata disse ainda que vai votar a favor o seguimento da denúncia. Para ele, as acusações merecem uma análise técnica, feita apenas pelo STF. “Julgamento técnico é no STF. Aqui é uma casa política. Voto contra o relator”.

09:13 – Aliado de Temer, o deputado Agnaldo Ribeiro (PP-PB) disse que a denúncia é inepta e afirmou que espera que os deputados cumpram seu papel de comparecer à votação. “A oposição deve cumprir o seu papel de estar aqui”, disse o parlamentar.

09:09 – Pouco antes do início da votação, o deputado José Guimarães (PT-CE) afirmou que espera que os parlamentares que sejam a favor do seguimento da denúncia contra Temer não marquem presença. “É importante que os 227 deputados não marquem presença. As insatisfações são cada vez mais crescentes”, afirmou.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies