PORTAL CASA NOVA - LOGIN
LOGIN PCN

Auditoria aponta irregularidades na contratação de Oscip pela prefeitura de Casa Nova

0

O Tribunal de Contas dos Municípios, na tarde desta terça-feira (17/11), considerou procedente as irregularidades apuradas mediante auditoria realizada na Prefeitura de Casa Nova, na gestão do então prefeito Orlando Nunes Xavier, em contratos celebrados com o Instituto Alfa Brasil, uma Organização Social Civil de Interesse Público (Oscip) para prestação de serviços de execução e gestão de transporte administrativo, operacional e escolar, nos exercícios de 2010, 2011 e 2012. 
O relator do processo, conselheiro Raimundo Moreira, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra Orlando Xavier, para que seja apurada a suposta prática de ato de improbidade administrativa. Foi imputada multa no valor de R$ 42.902,00 e determinado ao ex-prefeito o ressarcimento do montante de R$ 2.216.562,23 aos cofres municipais, com recursos pessoais, em razão de pagamentos realizados em duplicidade e por quilometragem paga em excesso ao limite previsto no contrato.
Em 2010, a prefeitura celebrou contrato com o Instituto Alfa Brasil para execução de transporte escolar, mediante dispensa de licitação, pelo valor mensal de R$ 411.851,63. Os técnicos do tribunal identificaram um série de falhas na documentação apresentada, entre elas: ausência de projeto básico, não apresentação de proposta de preço, da relação de possíveis prestadores de serviços a serem subcontratados e da quantidade de quilometragem a percorrer e a remuneração correspondente. Ao final, foi apurado um pagamento total de R$ 4.280.630,19, com manifestação de lucro pela entidade em face da cobrança de R$ 120,00 por veículo utilizado e mais 15% de taxa de administração sobre a quilometragem contratada. O instituto também deixou de recolher aos cofres municipais os tributos relativos a ISS e IRRF, na quantia de R$171.221,21 e R$42.806,30, respectivamente.
Nos exercícios seguintes, foram pactuados mais dois contratos. O primeiro, no valor total de R$ 402.319,49, teve por objeto a execução e gestão de transporte administrativo e operacional e o segundo, na quantia de R$ 482.469,15, a execução e gestão de transporte escolar, sendo que só participou do pregão presencial realizado o Instituto Alfa Brasil, em face da exigência de conhecimento prévio dos roteiros e da publicidade em site particular. Foram identificadas irregularidades como a inexistência, nos processos de pagamento, de documento dos veículos e dos motoristas, quando foram indicados apenas o nome dos logradouros, revelando a duplicidade de pagamento de encargos.
Cabe recurso da decisão.

Assessoria de Comunicação
Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies