DESSALINIZAÇÃO

A região semiárida da Bahia vai receber 385 sistemas de dessalinização de água para enfrentar os efeitos da seca. Nesta terça-feira (4), às 9h, no auditório da Fundação Luís Eduardo Magalhães (Flem), no CAB, em Salvador, o governador Jaques Wagner, a ministra do Meio Ambiente (MMA), Izabella Teixeira, e o secretário estadual do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, lançam o convênio do Programa Água Doce para implantação dos sistemas. Nesta primeira etapa serão beneficiados 30 municípios baianos.

 

Serão investidos R$ 61 milhões, sendo R$ 55 milhões do MMA e cerca de R$ 6 milhões de contrapartida do Governo do Estado, para serem executados entre 2012 e 2014. Os critérios são definidos pelo MMA e serão escolhidas as cidades de acordo com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e com as indicações pluviométricas do município, ausência ou dificuldade de acesso à fontes de abastecimento de água potável e altos índices de mortalidade infantil, entre outros.

O Sistema Integrado de Reuso dos Efluentes da Dessalinização, além de produzir água potável, reaproveita o concentrado enriquecido em sal, proveniente da dessalinização para a criação de tilápias e no cultivo de uma planta conhecida como erva-sal, utilizada na alimentação de caprinos e ouvinos. A água é retirada do aquífero por meio de um poço profundo, enviada a um dessalinizador e armazenada em um reservatório para distribuição.