Três rapazes deram entrada no Hospital Regional de Conceição do Coité e outro no Hospital Almir Passos na noite de sábado,08, depois de uma confusão enquanto acontecia um comício da Coligação “Pra Uma Coité de Todos” no Povoado de Ipoerinha distante 22 km da sede de Coité. Embora tivesse passado pânico a população local e visitantes, ainda durante o comício chegou a informação que três deles, de pré nomes Adriano que disse no hospital que reside no Bairro Terra Nova, recebeu um corte na mão foi atendido e liberado, Wendell não tivemos informação de onde mora, com ferimento em um dos braços também foi atendido e liberado.

A terceira vítima identificada por Paulo Sérgio morador da localidade onde acontecia o evento sofreu um corte na mão e outro na parte baixa do abdômen, seu caso embora não apresentasse gravidade, o hospital manteve internado, mas está consciente recebendo a visita de amigos e familiares. O ferimento não atingiu nenhum órgão vital, mas deve passar por uma pequena cirurgia na mão. A quarta vítima, identificado por Júnior também foi atendida no HAP e liberada.

Uma pessoa que estava visitando a vítima disse que não acredita que a briga foi por motivação política, e que teria sido em razão de todos envolvidos estarem fazendo uso de bebida alcoólica.

Os carros ainda estavam se dirigindo para Ipoerinha quando foram encontrados os veículos particulares prestando socorro as vítimas, um dos carros pertencente a Paulo Crisóstomo, conhecido por Paulinho de Loury teve seu carro apedrejado, uma caixa de som que estava sobre o teto do carro foi arrancada e um dos pára-brisas quebrados. Paulinho ainda prestou socorro a um dos feridos.

A polícia Militar compareceu, mas não prendeu ninguém, pois foram muitos envolvidos e os que deram entrada nos hospitais deverão ser chamados na Delegacia para prestarem depoimento e apontar o autor ou autores das facadas e os motivos.

Segundo a assessoria A13, em três localidades durante a semana, os candidatos Assis, Alex e vereadores foram recebidos com pedradas e ovos, mas não acusaram ninguém, embora as imagens gravadas no atos mostram pessoas utilizando pedaços e pau e um objeto conhecido por soqueira em aço que é visto na mão de um homem.

Por: Raimundo Mascarenhas