A decisão do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) que rejeitou, por unanimidade, o registro de candidatura de Joseph Bandeira (PT) em Juazeiro, no norte baiano, pode abrir caminho para o aguardado julgamento do caso de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador, onde o prefeito Sargento Francisco (PMDB) se lançou candidato à reeleição após romper acordo de apoio ao PR. No caso de Juazeiro, as direções estadual e nacional do partido de Bandeira acordaram a composição da coligação majoritária “Pra Juazeiro seguir em frente”, na qual o PT tem o candidato Francisco Oliveira como vice na chapa de Isaac Carvalho (PCdoB). “Mesma razão, mesmo direito. Espero que os desembargadores do TRE [Tribunal Regional Eleitoral] deem a mesma decisão”, encheu-se de esperança o presidente estadual do PMDB, o deputado federal Lúcio Vieira Lima, que briga em Candeias pela retirada da candidatura de Sargento Francisco. A sigla peemedebista estadual havia feito um compromisso de apoiar a prefeiturável Tonha Magalhães (PR). A executiva nacional do PMDB acionou o Ministério Público e a Justiça contra Francisco, acusado de promover uma negociata para conquistar a adesão do PSDC à sua tentativa de manter-se no comando da cidade. Um termo de compromisso manuscrito, com assinatura atribuída ao prefeito, detalha os termos do acordo partidário: R$ 60 mil em cargos; R$ 90 mil em espécie, divididos em duas parcelas; R$ 3 mil em combustível; R$ 5 mil em material de campanha e dois veículos com sonorização para a disputa eleitoral.