O Brasil, apesar dos avanços, continua a consumir de maneira semelhante a de países pobres. A maioria dos gastos ainda são concentrados em despesas básicas, como moradia, alimentação e transporte. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte de um levantamento chamado Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF). O documento divulgado nesta sexta-feira revela ainda que gradualmente o país tem se transformado e caminha para uma economia mais baseada no consumo de serviços.

[SAIBAMAIS ]Entre 2003 e 2009, o brasileiro passou a gastar mais com habitação. De todas as despesas que faz no mês, 29,2% são destinados para moradia. Até 2003 esse percentual era de 29%. As famílias também tem disponibilizado uma fatia menor do orçamento para alimentação, esse quesito diminuiu de 16,9% para 16,1%. Analistas ponderam, no entanto, que esse fator se deve ao aumento da renda. Fato semelhante ocorreu com educação, uma despesa que recuou de 3,3% do gasto total para 2,5%. Em números absolutos, porém, o valor desembolsado mensalmente cresceu, passou de R$ 59,86 para R$ 64,81 — um avanço de 8,27% em seis anos.