Lembrado como “um herói americano”, sua família destacou que Armstrong “serviu a Nação com orgulho, como piloto da Marinha, piloto de provas e astronauta”. Junto ao astronauta Buzz Aldrin, a bordo da nave Apollo 11, Armstrong se tornou o primeiro homem a pisar na lua, sob o olhar de milhões de telespectadores. O astronauta americano Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na lua, em 20 de julho de 1969, morreu aos 82 anos, informou neste sábado a rede de televisão americana NBC News.
De acordo  com  a TV, Armstrong foi submetido no início de agosto a uma cirurgia cardíaca devido à obstrução das artérias coronárias.

Nascido em 5 de agosto de 1930 em Wapakoneta (Ohio), desde jovem Armstrong demonstrou sua paixão por aeronaves, o que o levou a trabalhar no aeroporto próximo a sua casa.

Como comandante da missão Apollo 11, Armstrong foi o encarregado de informar ao centro de controle de Houston (Texas) o pouso do módulo lunar pilotado por Buzz Aldrin: “Houston, aqui a base da Tranquilidade. A águia pousou”. Suas palavras “É um pequeno passo para o homem e um salto gigante para a humanidade” entraram para a história.

Biografia

O astronauta começou a carreira como piloto naval em 1949 e entrou para a Naca (National Advisory Committee for Aeronautics) em 1955. Durante 17 anos, ele foi engenheiro, piloto de teste e administrador da agência que viria a se tornar a Nasa (National Aeronautics and Space Administration).

Após voar em mais de 200 tipos de aeronaves, de aviões a foguetes, Armstrong ganhou o status de astronauta, em 1962. No comando da missão Gemini 8, ele participou da primeira operação de acoplamento entre veículos espaciais.

A glória veio com a Apollo 11, primeira missão tripulada a pousar na superfície lunar. Armstrong ficou mundialmente famoso com a caminhada no satélite.

Nos anos seguintes, ele coordenou pesquisas da Nasa, deu aulas de Engenharia Aeroespacial na Universidade de Cincinnati e foi presidente de uma empresa de tecnologia aérea, além de continuar envolvido em assuntos espaciais, como a investigação do acidente com o ônibus espacial Challenger, em 1986.

Armstrong foi condecorado em 17 países.