Na manhã desta segunda-feira (20), em entrevista ao Programa do Bocão, na Rádio Sociedade da Bahia, o representante da coligação “Salvador Tem Jeito” na disputa pelo Palácio Thomé de Souza, Mário Kertész (PMDB), disse que para mudar Salvador precisa ter um gestor de experiência e coragem e para isso ele tem de sobra. “Falta prefeito em Salvador. Nós não temos prefeito. Quero compartilhar uma alegria: Só faltam 139 dias para João Henrique deixar a prefeitura”, alegrou-se.

Para ele, o primeiro passo é investir na administração da saúde pública. “Então o primeiro grande problema que precisa ser solucionado é o de administração. Precisamos de um prefeito que cuide da cidade, principalmente a saúde pública que atualmente está um caos. Todos os dias morre gente em filas de espera por falta de atendimento médico, aparelhos tecnológicos para a realização de exames, cirurgias e outros. Neste caso, quando eu assumir a gestão desta cidade tudo isso mudará. O dinheiro que vier do governo será investido primeiramente na saúde”, afirmou o prefeiturável.

Em seu discurso, Kertész também alfinetou os concorrentes na disputa pela cadeira principal do Palácio Thomé de Souza. “A gente vai ver durante as campanhas, que mais uma vez, todos falam a mesma coisa, salve algumas exceções”. Referindo-se a não provável coligação do ex-prefeito Antônio Imbassahy (PSDB), com ACM Neto (DEM), o postitulante não mediu palavras e disparou. ”Gostaria muito do apoio dele e, na verdade, acho uma pena que ele não esteja concorrendo, porque foi estuprado por ACM Neto no processo de escolha”, provocou.

Sobre o possível apoio do tucano a Neto, Mário afirmou achar improvável. “Imbassahy afirmou que não vai apoiar quem for apoiado pelo prefeito João Henrique. Sendo assim, ele avisa que não estará ao lado de Neto, o candidato declarado do atual prefeito”, analisou.

fonte: cidadeam