severino3

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti (PP) teve a candidatura à reeleição para a prefeitura de João Alfredo (PE) rejeitada pela Justiça Eleitoral.

 

O juiz Hailton Gonçalves da Silva, da 88ª Zona Eleitoral de Pernambuco, negou a candidatura baseado em umpedido de impugnação movido pela candidata adversária, Maria Sebastiana da Conceição (PTB). Notificado, Severino tentou se defender com o argumento de que as condições de inelegibilidade previstas pela Lei da Ficha Limpa não podem ser aplicadas a fatos ocorridos antes da aprovação do texto legal.

 

Severino vai recorrer da decisão e pode continuar em campanha até o julgamento do recurso. De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, ele não recebeu nenhum centavo em doações para a campanha.

 

‘Ex-mansalinho’

 

Conhecido por ter cobrado “mensalinho” do concessionário de um dos restaurantes da Câmara,Severino Cavalcanti renunciou ao mandato em 2005 para escapar da cassação por quebra de decoro. Por isso, foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa, em vigor desde 2010, que prevê inelegibilidade por oito anos para quem renuncia a cargo eletivo.

 

O ‘mensalinho’ seria extorquir R$ 60 mil de Sebastião Buani para renovar, por três anos, a concessão do restaurante que o empresário mantinha na Câmara. A propina foi paga em 2002, quando Severino era primeiro-secretário da Casa. Parte do dinheiro, R$ 40 mil, foi entregue em espécie ao deputado em 4 de abril daquele ano. No mesmo dia, Severino assinou documento que prorrogou o prazo da concessão.