Vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Bruno Reis (PRP) anunciou ontem (07), em plenário, que vai ingressar hoje (08) com uma representação no Ministério Público Federal (MPF) contra a TIM. O parlamentar quer manter a proibição imposta pela Anatel à operadora para a venda de novos chips na Bahia, além do ressarcimento dos consumidores por gastos indevidos e pagamento, pela empresa, de indenização por dano moral coletivo em função da TIM interromper de propósito as chamadas feitas no plano Infinity, no qual o usuário é cobrado por ligação.

Bruno Reis acusou a TIM de “roubar os consumidores” para lucrar R$4,3 milhões, conforme noticiado pela imprensa, “fraudando” o plano Infinity para obrigar os seus clientes a repetir as ligações. “Isso é agir com má-fé, com dolo. Isso é fruto de uma ganância inaceitável, inacreditável, que não pode ficar sem punição na Bahia. Queremos que, como o Ministério Público está agindo no Paraná, também atue da mesma forma na Bahia para proteger os consumidores da ambição desmedida da TIM”, afirmou o deputado.

Ascom