A greve dos caminhoneiros foi suspensa, na noite da última terça-feira, após uma negociação entre governo federal e representantes da categoria. Os veículos já estão deixando as vias que estavam bloqueadas e o trânsito na Via Dutra já flui tranquilamente. Nélio Botelho, presidente do Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), afirmou que a desmobilização da categoria será gradativa e deve terminar na manhã desta quarta. O líder dos caminhoneiros também informou que a greve mobilizou cerca de 10 mil caminhões, que ficaram parados na Via Dutra. O Ministro dos Transportes, Paulo Sergio Passos, informou que o primeiro ponto do acordo foi a constituição de mesa de negociações, que começará no dia 8 de agosto e terá um prazo de 30 dias para discutir e analisar às reivindicações da categoria.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) vai realizar, nos próximos 30 dias, fiscalizações educativas sobre a que regulamenta o descanso de 11 horas entre duas jornadas e a parada de 30 minutos a cada quatro horas de trabalho. O Contran tem como objetivo dar mais tempo para os caminhoneiros se acostumem com as mudanças. Uma reunião entre os representantes dos caminhoneiros e o diretores do Contran foi marcada para a próxima quinta-feira.

No acordo, foi definida a suspensão da emissão de novos cadastros no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga (RNTC), um dos temas que está na pauta de negociações entre a categoria e o governo federal. A norma aumentava o número de condutores que poderiam atuar na função, o que segundo os caminhoneiros, aumentou em 600 mil o número de transportadores e elevou a oferta diminuído o preço do frete.