A polícia afirma que a mulher de 48 anos presa após a morte da irmã, que tinha 54, ocorrida neste domingo (29) no bairro da Barra, em Salvador, confessou o crime durante depoimento. O motivo do crime, segundo a polícia, teria sido “problemas familiares”. A delegada Ayala Nolasco afirma que a mulher alegou “defesa da própria honra”, porque a [vítima] “vinha ‘envenenando’ a ela [suspeita] e a mãe há muitos anos”.

Até por volta das 18h30, a delegada continua a coletar informações da mulher flagrada e de vizinhos que testemunharam o crime, procedimento iniciado no começo da tarde. A mulher detida é artista plástica formada pela UFBA e, segundo relatou à polícia, ministrava aulas no Palacete das Artes, no bairro da Graça, na capital. De acordo com informações oficial do Palacete das Artes a professora não é lotada na instituição e só ministrou uma oficina de vídeo na unidade como professora convidada.

Crime ocorreu em prédio na Barra, em Salvador, Bahia (Foto: Reprodução/TV Bahia)Crime ocorreu em bairro tradicional da capital baiana
(Foto: Reprodução/TV Bahia)

Segundo a polícia e testemunhas, a mulher foi esfaqueada em diversas partes do corpo em frente ao edifício Nana, localizado na rua João Pondé, onde moravam em apartamentos distintos. Elas teriam discutido antes do crime.

A vítima chegou a correr alguns metros e parou em frente à igreja que frequentava, segundo os vizinhos que ajudaram a socorrê-la. Ela morreu enquanto era levada para o Hospital Geral do Estado (HGE), não resistindo aos ferimentos.

De acordo com a delegada, a mulher flagrada estava muito agitada, porém não resistiu quando foi presa, minutos após o crime. Ela será encaminhada para o Presídio Feminino, no Complexo Policial da Mata Escura, assim que liberada pela polícia.

 

g1bahia