O Banco do Nordeste do Brasil já contratou R$ 276,3 milhões no âmbito do programa FNE Estiagem. Criada em maio, esta linha de crédito emergencial beneficia produtores rurais, comerciantes e setores da indústria prejudicados pela estiagem na região. Este montante foi distribuído em 32,6 mil operações rurais e urbanas. A maior parte dos recursos foi direcionada para os beneficiários de mini e micro portes, que contrataram, em conjunto, R$ 176,6 milhões; e os pequenos, com R$ 84,7 milhões. Outros R$ 84,3 milhões em empréstimos estão em análise.

No Ceará, foram contratadas 2.799 operações nestas linhas emergenciais, totalizando R$ 24,1 milhões. Entre os estados situados na área de atuação do FNE, Pernambuco, Bahia e Paraíba respondem pela aplicação de cerca de 60% do total contratado no âmbito do FNE Estiagem.

“O bom desempenho apresentado na aplicação dessas linhas de crédito deve-se, em grande parte, à demanda advinda dos setores de Agricultura Familiar e de Comércio e Serviços que representam 88,2% das aplicações totais”, afirma o superintendente da Área de Políticas de Desenvolvimento do BNB, Rubens Dutra Mota.

Segundo ele, tal performance vem ajudando os empreendedores, especialmente aqueles de menor porte, situados em municípios onde, por conta da seca, há decretada situação de calamidade pública. Por meio do FNE Estiagem, o Banco do Nordeste dispôs de R$ 1 bilhão para empreendimentos de municípios com decreto de situação de emergência reconhecido pela Secretaria Nacional de Defesa Civil. Os recursos são do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O limite de crédito varia de R$ 12 mil a R$ 100 mil, com juros de até 3,5%. (fonte:Ascom BNB)