Foto: Divulgação

No último fim de semana mais um episódio envolvendo o cantor e compositor César Adriano. Desta vez o cantor se envolveu em um quebra-pau durante a 12ª cavalgada na cidade de Canudos-BA.

 

César ficou detido na delegacia de polícia de Canudos por cerca de uma hora e meia após se envolver em uma confusão com Edson Araújo Silva, filho do Forrozeiro Zezinho da Ema.

 

A confusão teria iniciado após o cantor pedir passagem para o ônibus da sua banda  passar para retirada de seu material de produção. De acordo com testemunhas o motorista do ônibus filho de Zezinho da Ema teria soltado uma piada com o cantor, o mesmo  teria  tentado menosprezar o cantor chamando o seu veículo de “onibuzinho”, versão confirmada pelo  cantor Cesar Adriano em depoimento na delegacia de polícia de Canudos.

Ambos teriam se atracado com agressões físicas e verbais e nem mesmo com a presença da polícia, os dois pararam de trocar tapas.

Os dois foram conduzidos à delegacia de polícia da cidade para prestarem depoimento até que tudo fosse esclarecido. Na saída da porta da delegacia, Cesar pediu desculpas ao seu Zezinho da Ema pelo episódio ocorrido e lamentou o fato.

 

Esta é a segunda vez que o cantor César Adriano se mete em barraco. O primeiro episódio veio a acontecer em setembro do ano passado quando o mesmo agrediu sua companheira sendo autuado na Lei Maria da Penha.

 

Leitor (a) defende o cantor:

“A briga entre César e o filho de Zezinho da Ema na cidade de Canudos é fato, mas infelizmente as informações colhidas do tal episódio, não são totalmente verdadeiras. Algumas pessoas da mídia regional não sabemos porque, estão tentando destruir a imagem do Cantor, desde a situação com que aconteceu entre ele e sua ex-esposa, que o levou a delegacia e repercutiu muito por causa da lei Maria da Penha. Quantos astros da música e da televisão já fizeram isto e continuam famosos e adorados pelos seus fãs? Quantos repórteres que pregam a moral já passaram por isto e continuam respeitados, porque são bons profissionais?”
Estão tentando destruir a imagem de um menino, que por si só, sem apoio de empresários ou de mídia para alavancar sua carreira, chegou a onde está. Menino que veio do interior, filho de pais trabalhadores rurais que lutaram para dar educação para seus cinco filhos, sem maturidade e sem conhecimento de mundo, infelizmente conheceu a realidade da vida e da fama sem o acompanhamento de seus pais junto a ele na estrada como outros astros adolescentes.

Ele é cantor, não é Deus, nas veias dele corre sangue. Ele pode ter alguns defeitos, mas se ele corresponde no palco, à vida pessoal dele é só dele. Os fãs gostam de sua voz, de sua presença de palco, de seu estilo de cantar, é lá que ele precisa ser o melhor. E ele é. Sabemos que ele precisa amadurecer e ter mais responsabilidade com ele mesmo, mas por esta região, quantos jovens na idade de 29 anos construíram bens materiais através de seus esforços no valor dos bens que César Adriano tem hoje?

Cadê que a mídia mostra a verdadeira história de vida do cantor para apresentar a seu público o que é o poder de persuasão de um ser humano. Quanto a briga em canudo, a arrogância do filho de Zezinho da Ema em querer menosprezar a banda de César Adriano, por ser um “onibuzinho” como ele disse, que poderia passar em qualquer lugar por não ser importante e ser pequeno, que César Adriano é um drogado, e outros tantos insultos, e que mesmo após o show, voltou até a banda para acusá-los de roubar uma tal bolsa do mesmo.

O motorista da banda de César chamou a comunidade que estava por perto e pediu que fosse testemunha de que eles estavam autorizando o Edson (filho de Zezinho da Ema), a entrar no ônibus de César e vasculhar para ver se a tal bolsa que nem ele mesmo sabia o que tinha dentro, estava lá. O show de César começou às 6h da manhã, e de dez mil pessoas que esperavam quase todas estavam lá, e ele respondeu tudo isso fazendo um belo show.

Texto: Por Adriana Menezes ao  Blog do Geraldo José