A elite da polícia francesa realiza um cerco, nesta quarta-feira, à casa onde pode estar o responsável pela morte de três crianças e um professor numa escola judaica de Toulouse. Uma grande operação ocorre em um bairro residencial para deter o suspeito de sete assassinatos em dois ataques na região.

O homem pertence a um grupo islâmico dissolvido pelo Ministério do Interior, segundo uma emissora de televisão local. Assim que a casa dele foi cercada pelos policiais, houve um tiroteio e dois agentes acabaram levemente feridos. Em seguida, começou uma fase de negociação.

A mãe do suposto autor do massacre na escola judaica interveio, mas com o fracasso das negociações novos disparos foram ouvidos.

Investigação

Segundo a televisão francesa, o suspeito pertence ao grupo Forsane Alliza, próximo à Al Qaeda – dissolvido por encarregar-se do recrutamento de combatentes para Paquistão e Afeganistão, países que podem ter sido visitados por ele recentemente.

O irmão dele também é suspeito de pertencer à organização. O jovem de 24 anos fazia parte da lista de suspeitos da Polícia de ter matado um soldado egresso do norte da África no último dia 11 em Toulouse.

Outros dois militares de um regimento de paraquedistas foram assassinados em Montauban, localidade próxima, com a mesma arma e, na segunda-feira passada, houve o ataque à escola judaica. Duzentos agentes estão mobilizados para prender o suspeito.