Na terça-feira (06), na sessão da cãmara de vereadores, o vereador Pedrinho da Vanda contestou o fato de o Projeto de lei encaminhado a Casa para votação ter sido acatada pelo Presidente da Cãmara João Borges Pinto, ter sido o do Sr Prefeito e não o dele. Segundo Pedro dos Santos, o projeto de lei tramitava na Casa desde 2005, projeto este que torna obrigatório o dia do evangélico. Em meio a discussão, João Borges afirma que o Projeto do Prefeito foi recebido e o de Pedro Não. E, que o mesmo estava “Engavetado”. Contudo, teria sido informado de que os Pastores convidaram o Prefeito para uma reunião e, que o requisitaram que encaminhasse para votação o projeto de lei que tornaria obrigatório o dia do evangelico com a data sugestiva para 31 de Outubro. Segundo João Borges Pinto, ele é quem manda, e quem aprovará o projeto que quiser.